Governo do Estado de Minas Gerais, por meio da Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), está investindo estrategicamente na qualificação dos trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS) no estado.

Desde setembro deste ano, mais de 17 cursos movimentam a Escola com a ação educacional “Cursos Livres: constituindo potências para o trabalho no SUS”, que já contabiliza a qualificação de cerca de 200 alunos em apenas dois meses.

Para o diretor-geral da ESP-MG, Edvalth Rodrigues Pereira, a proposta dos Cursos Livres foi uma iniciativa inovadora dos próprios trabalhadores da Escola. “Já iniciamos onze cursos desde setembro e recebemos alunos vindos de várias regiões do Estado. Nossa previsão é de qualificar cerca de 600 alunos até dezembro nas áreas de Saúde Pública, Planejamento e Gestão Pública.

Em sala de aula

João Muzzi, técnico em enfermagem e aluno no curso de Regionalização do SUS diz que os cursos da Escola oferecem para um panorama histórico e técnico da consolidação do SUS e seu processo de construção. “Se estamos atuando no SUS, estamos construindo ele também. A Escola nos fornece subsídios para alinhar o conhecimento que nós trazemos com o conhecimento que está sendo pensado aqui a respeito do sistema", afirma.

Mycaella Tobias, assistente social e aluna do curso Saúde e Direitos Humanos, destaca que a ação é uma possibilidade de qualificação para melhoria atendimento em sua prática profissional. "Recebi a informação dos cursos por meio de uma colega de trabalho e me inscrevi em quatro cursos. Como assistente social acredito que temos que pensar em uma saúde de completo bem-estar e o curso oferece questões sobre o conceito ampliado de saúde, que não é apenas o tratamento de doenças, mas um cuidado completo com o usuário. O direito à saúde e os direitos humanos são pilares para alcançarmos esses objetivos", reflete.

Coletividade

Os Cursos Livres têm o objetivo de promover espaços de discussão entre trabalhadores do SUS na perspectiva da Educação Permanente em Saúde, com ênfase no fortalecimento do trabalho no sistema.

Nesta primeira edição, os docentes da Escola foram convidados para atuarem como voluntários diante das restrições do atual cenário da saúde pública e algumas dessas ações educacionais são ofertadas em parceria com a Secretaria de Estado de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania (SEDPAC).

Nas próximas semanas, a ESP-MG inicia os cursos de Capacitação Pedagógica: Docência no SUS, Experimentação em Educação em Saúde, Saúde e Direitos da Mulher, Saúde e Direitos da População LGBT, Território e Saúde, Leishmaniose, esquistossomose e doença de Chagas e Gestão de Contratos no SUS.

Por Sílvia Amâncio