A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) e a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) promoveram nos dias 26 a 27 de outubro, terça e quarta-feira, respectivamente, na sede da Escola, em Belo Horizonte, o 1º Encontro Formativo com os analistas regionais da Segunda Onda de expansão do Projeto Saúde em Rede.
O evento teve como objetivo apresentar o projeto para os analistas regionais, alinhar as questões relacionados ao projeto e realizar a formação desses profissionais no 1º de oito ciclos que compõem o projeto, que tem previsão para iniciar nos territórios em 23 de novembro. Participaram dessa capacitação 29 analistas regionais.

Créditos: Jean Alves-ESP/MG

A segunda onda de expansão do saúde em rede iniciou-se oficialmente em setembro deste ano, quando o projeto foi apresentado pela Secretaria Estadual aos gestores municipais que assinaram um termo de compromisso. Nesta fase serão contemplados 287 municípios que estão na área de abrangências das regionais de Governador Valadares, Itabira, Ituiutaba, Juiz de Fora, Manhuaçu, Montes Claros, Passos, Pedra Azul, Pirapora, Pouso Alegre, Ubá e Uberlândia.

Na abertura oficial do evento, que aconteceu na terça-feira, dia 26/11, o Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, não pôde participar presencialmente, mas mandou um vídeo, em que dá as boas-vindas aos participantes e menciona que o saúde em rede é um projeto estratégico para o governo e "que traz para a prática, o que a gente já sabe na teoria que é a integralidade do cuidado. Então, nós entendemos que o saúde em rede é transformador e por isso é muito importante esse nivelamento e depois o treinamento em cada município de tudo o que a gente vem discutindo a tanto tempo com o saúde em rede", detalhou.

A Diretora Geral da ESP-MG, Mara Guarino Tanure falou da importância do projeto, da parceria da Escola com a SES e do papel da ESP em contribuir com a parte metodológica, na produção dos conteúdos trabalhados e também no apoio e suporte aos gestores e profissionais que atuam nos serviços de saúde.

A coordenadora do Saúde em Rede pela SES-MG, Raquel Guieiro, destacou a importância deste momento presencial com os analistas regionais, pois é uma boa oportunidade para eles conhecerem as pessoas envolvidas na gestão do projeto, tanto da SES-MG, quanto da ESP-MG. Ela também ressaltou que é relevante para se estabelecer vínculos, de modo que os analistas vejam os representantes da Secretaria e da Escola como parceiros e também como referências para oferecer suporte em todas as dificuldades. "Acho que vai ser uma troca muito rica, para que eles compreendam de forma integral o papel do analista no projeto", completou.

Créditos: Jean Alves-ESP/MG

Formação

O encontro formativo para os analistas da 2ª onda de expansão do projeto acontecer de modo presencial, foi uma situação nova, pois em razão da pandemia da Covid-19, o encontro anterior, com os analistas da 1ª onda, ocorreu de forma remota. A trabalhadora da ESP-MG, Apoiadora do projeto e uma das responsáveis pelo realização da atividade, Juliana Mesquita, comenta que este encontro também foi importante para abordar as questões técnico-pedagógicas, as que são relacionadas ao material didático, aos ciclos formativos e também foram feitas apresentações e treinamento dos profissionais na plataforma de monitoramento do projeto. 

Juliana Mesquita explica que o papel dos Apoiadores da Escola é o de auxiliar no processo didático-pedagógico do curso, das formações de tutores e das oficinas tutoriais. "Nós acompanhamos os analistas regionais, capacitamos esses analistas e, posteriormente, acompanhamos a formação que os analistas regionais oferecem para os tutores", comentou.

A Apoiadora da ESP-MG salientou também que o papel dos trabalhadores da Escola que estão atuando no Saúde em rede é o de "trazer a experiência da Escola na realização de ações descentralizadas e também oferecer esse olhar da educação permanente em saúde como uma ferramenta para rediscutir os processos de trabalho, as ações realizadas nos serviços de saúde, nos serviços ofertados para a população. Assim, eu entendo que é essencial o papel da ESP nessa construção, nessa trajetória da educação e saúde", finalizou.

Saúde em Rede
O Saúde em Rede tem como objetivo estruturar as Redes de Atenção com a transformação do atual modelo hierárquico - que tem o hospital como centro dos atendimentos - para dar lugar à gestão integrativa, na qual a Atenção Primária é ordenadora dos cuidados em saúde, além de qualificar os processos assistenciais com o intuito de promover uma assistência à saúde ainda mais adequada ao cidadão.

Para isso, o projeto propõe a implementação de processos de Educação Permanente em Saúde (EPS) para ampliar as capacidades das equipes da Atenção primária à Saúde (APS) e da Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) de analisarem seus processos de trabalho e reorganizá-los com foco nas necessidades dos usuários do Sistema Único de Saúde (SUS). O Projeto Saúde em Rede iniciou-se em 2019, em sua etapa piloto, para os 29 municípios da macrorregião Jequitinhonha.

Aquela etapa teve a condução da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES/MG), com o apoio do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (CONASS) e do Hospital Israelita Albert Einstein, no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (SUS), do Ministério da Saúde.

Já a expansão do projeto para o restante do território mineiro acontece por meio da parceria entre SES e ESP, sendo que a Escola, em razão de sua experiência na formação dos trabalhadores do SUS, está responsável pelo desenvolvimento dos projetos educacionais, bem como do acompanhamento das etapas, junto aos participantes da Oficina.

Saiba mais sobre o projeto em: https://www.saude.mg.gov.br/saudeemrede

Por Vívian Campos e Jean Alves- ESP/MG