A Gerência Regional de Saúde (GRS) de Januária realizou, na última semana de outubro, a 4ª etapa do Encontro Formativo para Tutores do Programa Saúde em Rede, no auditório da Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes) campus Januária. Com carga horária de 12 horas, o encontro teve como público-alvo os tutores dos municípios das microrregiões de Januária e Manga.

Participaram do evento os representantes dos municípios da microrregião de Januária e Manga, o apoiador do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Minas Gerais (Cosems–MG), Elton Fernandes, a coordenadora regional da Atenção à Saúde, Nayra de Oliveira Duarte, o apoiador da Escola Estadual de Saúde Pública (ESP-MG), Rodrigo Martins da Costa Machado, a analista do nível central, Gabriela Cintra Januário, a analista regional, Alessia Carneiro Figueiredo, e a estagiária do setor da Coordenação de Atenção à Saúde, Brendha Gabrielly Santos Vicente.

Crédito: Giuliana Dias Luz Batista

O Saúde em Rede é um projeto estratégico do Governo de Minas que teve início em 2019 em 29 municípios da macrorregião de Jequitinhonha, por meio de parceria da Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), apoio do Cosems-MG, executado pelo Hospital Israelita Albert Einstein, realizado no âmbito do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (Proadi-SUS).

A expansão do projeto é realizada em ondas e tem como intuito principal promover a estruturação da Rede de Atenção à Saúde (RAS) em Minas Gerais, por meio da organização dos processos de trabalho da Atenção Primária e Atenção Ambulatorial Especializada (AAE) na linha de cuidado prioritário materno-infantil, ofertando subsídios para a organização dos serviços das demais linhas de cuidado como Hipertensão Arterial Sistêmica/Diabetes Mellitus, de forma integrada e orientada, para gerar valor para o cidadão e eficiência para o sistema de saúde.

Organização dos processos
A analista do nível central, Gabriela Cintra Januário, ressaltou que "no 4º ciclo, percebemos com clareza a melhor compreensão dos tutores sobre o projeto, bem como a melhor adesão dos profissionais das Unidades Laboratórios participantes. Isso está refletindo muito positivamente na organização dos processos de trabalho das Unidades de Saúde e, consequentemente, na qualidade da assistência à saúde ofertada na linha de cuidado materno-infantil". Ela completou: "Temos um grande desafio para reduzir a mortalidade materna e infantil, em especial das mortes que poderiam ser evitadas quando há um sistema fortalecido e organizado. Nesta perspectiva, o Saúde em Rede tem um papel fundamental".

A coordenadora da Coordenação Regional de Atenção à Saúde, Nayra de Oliveira Duarte, informou que "o projeto chegou à metade e nesse momento as discussões com relação aos processos de trabalho da Atenção Primária e Atenção Especializada começam a ficar mais detalhados e intensos entre os pontos de atenção. O Saúde em Rede está sendo um divisor de águas nas discussões que durante muito tempo deixaram de acontecer, que é o empoderamento do território da Atenção Primária para executar a ordenação do cuidado, destacou. "

Por Giuliana Dias Luz Batista- SES/MG

Enviar para impressão