Atuando no serviço púbico desde 2003, assim que concluiu sua graduação em Pedagogia (Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais), ela foi professora designada em uma escola estadual, em Belo Horizonte, passou pela Fundação Ezequiel Dias (Funed-MG), onde permaneceu por seis anos e na Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) está desde 2014, hoje, atuando na Assessoria de Tecnologias Educacionais em Saúde. Na última semana, seu trabalho de conclusão de curso foi aprovado e ela agora é a mais nova sanitarista formada pela instituição. Confira!

Como foi seu ingresso na ESP-MG?

Quando conheci a Escola, ela ainda era vinculada à Funed, mas ingressei pelo em concurso público de 2012. Em dezembro de 2014, tomei posse e entrei em exercício para o cargo de Analista em Educação e Pesquisa em Saúde.

Como é o seu trabalho na Assessoria de Tecnologias Educacionais em Saúde?

A Assessoria é um setor criado recentemente a partir da proposta de reestruturação da ESP-MG. Estamos trabalhando para a implementação da Educação à Distância na instituição. Além disso, estou envolvida em ações educacionais como o Programa de Educação Permanente para Médicos de Família (PEP) e Ciência em Movimento, em parceria com a Funed-MG e a Fundação Caio Martins (Fucam-MG).

Como surgiu o tema de seu TCC?

Meu tema, “Metodologias Ativas em Processos Educacionais na Área da Saúde: Uma Revisão de Literatura”, se deu a partir de um curso, de pequena duração, que eu e mais alguns servidores da ESP-MG fizemos no ano de 2016, época em que eu estava definindo sobre o que abordar. Diante desse curso, minha curiosidade ficou aguçada para aprofundar no assunto e resolvi fazê-lo.

Qual a importância dessas metodologias para a saúde?

As metodologias ativas valorizam o conhecimento prévio do aluno/profissional e possibilitam a integração entre teoria e prática. Nessas metodologias o aluno é o centro do processo de ensino-aprendizagem, o que contribui para o fortalecimento da autonomia do educando, tornando-o sujeito crítico e reflexivo para a busca de conhecimentos, com intuito de soluções autênticas para os problemas de saúde reais da população.

Neste contexto, qual a importância do Sistema Único de Saúde (SUS)?

O SUS tem um importante papel, surgiu para materializar o direito à saúde e reduzir as desigualdades regionais em observância ao princípio da equidade. Visa garantir o acesso da população aos serviços de saúde consagrando um direito previsto na Constituição Federal, notadamente, nos termos dos artigos 196 a 200.

Qual sua análise sobre a especialização?

A especialização em Saúde Pública foi o meu primeiro curso desse tipo, mas acredito que a tradição do curso e a dedicação dos docentes, maioria da casa, faz grande diferença. Considero importante a diversidade de trabalhadores do SUS em várias áreas de formação com experiências múltiplas na área da saúde. Isso contribui muito para enriquecimento dos debates em sala de aula.

Por Jéssica Torres (Estagiária de Jornalismo - ASCOM/ESP-MG)