Em maio, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) iniciou mais um curso Técnico em Enfermagem, tendo como público os profissionais que atuam no Sistema Único de Saúde (SUS) e já são auxiliares de enfermagem e buscam a complementação na área. A partir de novembro, a turma começou o período de estágio. 

O objetivo da ação educacional é atualizar os profissionais sobre temas como a legislação do SUS, o cenário epidemiológico atual e a estrutura e funcionamento de diversas unidades de atendimento em saúde.

De acordo com o coordenador do curso e trabalhador da ESP-MG, João André Tavares, o investimento na formação dos profissionais técnicos de nível médio no SUS é fundamental para a qualidade dos serviços prestados. “Especificamente na área da enfermagem, os técnicos e auxiliares representam mais de 70% dos profissionais da área, assim é fundamental apoiar e investir na qualificação, já que esses trabalhadores, além de representarem número expressivo da força de trabalho na saúde, desenvolvem atividades assistenciais em contato direto e regular com os pacientes”, ressalta.

Experiência

Segundo Rosane do Nascimento, auxiliar de enfermagem da Maternidade Odete Valadares, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), o curso em sido uma aprendizagem agregadora. “É um aprendizado válido. Para nós, é fundamental atualizar-se sobre biossegurança, emergência e urgência tanto do Serviço Médico de Atendimento de Urgência (SAMU), bem como dos blocos hospitalares, além de abrir a nossa visão para além do que o que estamos acostumados”, ressalta.

Ainda de acordo com a aluna, o curso é uma via de mão dupla para o profissional e o paciente. “Se atualizar e renovar o conhecimento da nossa profissão e tudo que ela abrange é uma segurança maior tanto para o paciente quanto para você, que passa a se sentir mais segura e capacitada na sua área de trabalho”, disse.

Marta Maria Alves da Silva, também aluna e auxiliar de enfermagem no Hospital Julia Kubitschek, o diferencial do curso na Escola reside em uma turma menor, em que os alunos têm mais atenção por parte dos docentes. “O contato com o aluno é constante e isso nos auxilia a aprender mais. Indico o curso para todos os colegas que estão pensando em adquirir mais conhecimento. E o empenho e carinho do professor João André os motiva ainda mais”, alegrou-se.

Alunos durante realização de estágio no Centro de Saúde Carlos Prates

Conteúdos 

No conteúdo do curso, os alunos são inseridos nas disciplinas “Contextualização das Políticas de Saúde do SUS”, “Processo de Trabalho na Enfermagem e Biossegurança em Saúde”, “Cuidado de Enfermagem na Recuperação da Saúde do Indivíduo Grave/Crítico em Situações de Urgência e Emergência”, “Cuidado de Enfermagem na Assistência de Adultos em Estado Grave” e “Cuidado de Enfermagem na Assistência de Crianças em Estado Grave”.

Tradição

A ESP-MG tem tradição na qualificação dos profissionais da enfermagem. Desde 1998, com a criação do Projeto de Profissionalização dos Trabalhadores da Área de Enfermagem (PROFAE), pelo Ministério da Saúde, a instituição vem ofertando ações educacionais que visam a qualificação desses trabalhadores. Desde 2012, mais de oito turmas foram concluídas, totalizando cerca de 200 alunos formados.

Por Jéssica Torres (Estagiária de Jornalismo - ASCOM/ESP-MG)