A confirmação de casos de Febre Amarela em Minas Gerais intensificou as ações de controle da doença, principalmente com as campanhas de vacinação no Sistema Único de Saúde (SUS). Em Belo Horizonte, as unidades básicas de saúde atenderam os usuários até nos finais de semana devido à grande procura por vacinas.

Diante desse cenário, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) convocou seus trabalhadores para serem voluntários no Centro de Saúde Oswaldo Cruz (CSOC), vizinho da Unidade Sede e grande parceiro nas ações de promoção da saúde.


Silvia Rubinich e a estagiária Ana Caroliny Duarte, da Diretoria de Compras e Contratos da ESP-MG durante atendimento no CSOC

Durante a última semana, dez trabalhadoras da instituição se voluntariaram para a triagem e cadastro dos usuários, auxiliando a equipe da unidade de saúde e diminuindo assim, o tempo de espera na fila da vacina.

Apoio

O diretor-geral da Escola, Edvalth Rodrigues Pereira, grande incentivador da ação, acredita que esse tipo de auxílio fortalece as ações institucionais e mostra a importância das parcerias na saúde pública. “Diariamente vemos a demanda da unidade de saúde e temos em nosso corpo técnico profissionais de saúde com ampla experiência. E mais, disposição para ajudar. Fizemos o convite e de imediato tivemos voluntárias. Agradeço a cada uma que se implicou e fez diferença em tempos de ação como agora”, diz.

Priscila Moraes, trabalhadora da instituição há sete anos e uma das voluntárias, diz que foi uma experiência interessante e reforçou o que ela sempre viu na Escola, uma instituição também de saúde. “Ver Estado e prefeitura trabalhando por um bem comum e em prol da população sempre nos agrada e estar ali lidando direto com o usuário é diferente do que fazemos em nossa rotina, mas agilizamos o atendimento e foi gratificante demais”, afirma. 

A importância da vacina

Maria Aparecida Silva, secretária em Betim (Região Metropolitana de Belo Horizonte) se vacinou na unidade de saúde e ressaltou a importância da campanha de vacinação veiculada nos meios de comunicação. “Trabalho perto daqui e vi nos jornais que deveria procurar o posto e me vacinar. Vi os casos graves e temos que nos prevenir”, disse.

A estudante de Direito, Letícia Carvalho, aproveitou a proximidade da casa do namorado com a unidade de saúde para se vacinar. “Acompanhei a divulgação pela mídia da vacinação e vim. Os casos graves e até de óbito nos preocupou demais, a vacinação é nossa obrigação”, apontou.


Ana Lúcia Moreira, da Diretoria de Logística e Manutenção da ESP-MG durante atendimento no CSOC

Parceiros

A ESP-MG e o CSOC, que é gerenciado pela Prefeitura Municipal de Belo Horizonte (PBH), têm longa história de parceria em ações de promoção da saúde. Localizados no bairro Barro Preto, região Centro-Sul da capital mineira, realizam práticas integrativas, cursos e grupos de apoio com os usuários do SUS.

Nessa ação em particular, o protagonismo das trabalhadoras da Escola, duas delas profissionais de saúde (Farmacêutica e Fisioterapeuta), das áreas administrativas, financeiras e de logística, foi o diferencial para o acolhimento e imunização da população que buscou os serviços na unidade de saúde durante a semana. 

Saiba mais sobre a Febre Amarela: http://www.saude.mg.gov.br/febreamarela

Por Sílvia Amâncio