Entre os dias 24, 25 e 26 de abril, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG), recebeu o “I Encontro para Qualificação dos Registros Ambulatoriais e Processos de Trabalho da Rede de Atenção Psicossocial em Minas Gerais”.

A atividade foi promovida pela Coordenação Estadual de Saúde Mental da Secretária de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), com o objetivo de sensibilizar profissionais da Regulação e da Saúde Mental das Regiões de Saúde do Estado sobre a importância de registrar as ações desenvolvidas nos Centro de Atenção Psicossocial (CAPS). 

Segundo Maria Lucia dos Reis, da Superintendência Regional de Saúde de Uberlândia, a partir da demanda dos municípios diante das dificuldades em nos registros foi elaborada a capacitação. Montamos a proposta da capacitação e trouxemos os profissionais das regionais. A ideia é que as informações sejam bem registradas para que tenham mais qualidade no sistema”, explica.

Ainda de acordo com ela, a construção de estratégias de divulgação das ações desenvolvidas e seus efeitos no cotidiano das pessoas e do território também foi uma das questões discutidas durante a capacitação. “É importante publicizar as ações com informações do sistema e dar mais visibilidade à rede, trabalho que nem sempre é visível e reconhecido publicamente”, destaca. 

Fortalecimento das ações

Ana Carolina Martins, referência técnica da Regional de Saúde de Barbacena, acredita que sua participação na capacitação é de extrema relevância diante do atuam cenário das políticas de saúde mental. “Temos os campos de trabalho cotidiano muito fortalecidos. “Para o Estado, essa iniciativa presencial é de extrema relevância no fortalecimento da rede psicossocial dentro do modelo territorial, substitutivo. Considerando que estamos perto do dia 18 de Maio, que é o dia de fortalecer essa luta, veio a calhar a possibilidade de entender a importância de qualificar esses dados”, afirma. 

Marcos Moreira, gerente regional de Saúde de Manhumirim, destaca a dificuldade de equiparar as pontas do sistema e da informação. “Nos reunimos para poder discutir essa questão de procedimentos de sistema de informação. Tínhamos dificuldade em aproximar pessoas com capacidade técnica adequada, do pessoal do setor de informação. Esse encontro possibilitou que o pessoal do sistema conhecesse a área técnica. O resultado será o alinhamento para a melhoria dos serviços”, afirma.

A capacitação contou também com do Grupo Condutor da Rede de Atenção Psicossocial, do Conselho de Secretários Municipais de Saúde de Minas Gerais (COSEMS-MG) e da Coordenação Geral de Saúde Mental Álcool e outras Drogas do Ministério da Saúde.  

Por Melyssa Fonseca (Estagiária de Jornalismo - ASCOM/ESP-MG)