A Escola de Saúde Pública de Minas Gerais (ESP-MG) realizou, entre os dias 07 e 09 de agosto, o Seminário de Acompanhamento e Avaliação Parcial do Programa Pesquisa Para o SUS (PPSUS) – Chamada 07/2017. O evento contou com as parcerias da Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG) e da Fundação de Amparo à Pesquisa de Minas Gerais, FAPEMIG.

A diretora geral da Escola, Lenira Maia, realizou a abertura oficial do seminário agradecendo a organização e parceiros. Em sua fala deu ênfase à importância da pesquisa o desenvolvimento do SUS e do país. "Em momentos de dificuldades, fomentar e investir em pesquisas é fundamental para o desenvolvimento não só de produtos e tecnologias, mas também da educação e das políticas públicas de saúde. A ESP-MG está à disposição do PPSUS para contribuir com fortalecimento do programa e do SUS", disse.

Na mesa da sessão de abertura também estiveram presentes a Assessora de Parcerias em Saúde da SES-MG, Cláudia Hermínia, a Coordenadora Nacional do PPSUS, Marge Tenório, a Analista do CNPQ, Suzana de Oliveira, o Represente do PPSUS no Estado, Leonardo Machado e o Diretor de Ciência, Tecnologia e Inovação da FAPEMIG, Paulo Sergio Beirão. A atividade contou com o painel "Desafios para a Ciência, Inovação e Tecnologia na Atualidade", conduzido por Beirão, seguido de debate.

Em sua apresentação, o Professor Beirão apontou dados da produção científica no país, as contribuições brasileiras para a ciência no mundo, a importância da FAPEMIG neste contexto em Minas Gerais e os desafios atuais. " O grande desafio é transformar Ciência, Tecnologia e Inovação como eixo estruturante do desenvolvimento econômico e social de Minas Gerais. O conhecimento, as pesquisas, que resultam em tecnologia, têm papel central no crescimento da economia e bem estar", aponta.

Samuel Silva, pesquisador e doutorando em Demografia pela UFMG, apresentou o projeto "Qualidade de vida relacionada à saúde e adequabilidade do sistema de saúde para lidar com as necessidades da população LGBT". 

Segundo ele, no Brasil há uma política nacional e integral de saúde para a população LGBT, contudo não há indicadores da execução destas ações no território. "Estamos recorrendo a um indicador sintético de resultados para fazer o mapeamento da saúde da população LGBT em Minas Gerais com a maior amplitude possível. Ao mesmo tempo, estamos coletando a percepção dos gestores e das referências técnicas para que seja possível levantar, de fato, quais são as demandas reais da população LGBT. O PPSUS é fundamental para isso, não só pelo financiamento, mas também pela relação direta com as políticas de saúde e os profissionais", disse.

O seminário, organizado pela Superintendência de Promoção, Cuidado e Vigilância em Saúde, ao longo dos 03 dias, teve a apresentação de 49 projetos de pesquisa nas mais diversas áreas da saúde coletiva e mobilizou dezenas de pesquisadores, especialistas e profissionais para a avaliação dos projetos.

Objetivos do PPSUS

Dentre os principais objetivos do Programa Pesquisa para o SUS destacam-se: fortalecer grupos de pesquisa e programas de pós-graduação em saúde existentes no estado; propor ferramentas de gestão da política pública de pesquisa em saúde; e identificar os problemas de saúde que dependem de conhecimento científico e tecnológico para a sua resolução.
Os projetos de pesquisa apresentados estão em andamento e os resultados finais deverão ser apresentados no Seminário de Encerramento da Chamada 07/2017.

Por Jean Alves (ASCOM/ESP)