Nesta quinta-feira, dia 23 de junho, a Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) realizou um evento para celebrar os 76 anos da instituição, completados em 03 de junho. Além da abertura com a presença de autoridades, a programação contou com a mesa de discussão temática: "Construção Coletiva de ações e saberes no SUS: a rede e as parcerias interinstitucionais para a formação".

A abertura teve a participação da Diretora geral da ESP-MG, Mara Guarino Tanure; do Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti; do Secretário de Estado Adjunto de Saúde, André Luiz Moreira dos Anjos e do presidente do Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG), Ederson Alves da Silva.

A diretora da ESP-MG, Mara Tanure, abriu as falas afirmando que para ela era uma honra estar como Diretora no momento de aniversário dos 76 anos da Escola, que é a primeira Escola de saúde pública estadual do país. A Diretora comentou que antes de vir para a ESP-MG, fez parte do Comitê de combate à Covid-19, da macro centro e o que chamou muito a atenção dela, assim que chegou, foi a capacidade da instituição de ampliar a estrutura e o alcance da educação a distância e ofertar cursos com temas totalmente novos e desafiadores e no tempo em que as demandas iam surgindo. Conforme a Diretora, já foram ofertados cursos de cuidados clínicos, treinamento de intubação, vacinação e de cuidados para o retorno às aulas, dentre outros.

"Isso demonstra o trabalho comprometido, competente e fruto do empenho de cada um e da colaboração de todos. Isso explica muito a força, a grandeza da instituição e a determinação dos seus trabalhadores, parceiros e alunos em lutar pela Escola e pelo SUS. Se analisarmos a história da ESP, iremos constatar que está fortemente alinhada à história do Sistema Único de Saúde de Minas Gerais", enfatizou.

O presidente do Conselho Estadual de Saúde de Minas Gerais (CES-MG), Ederson Alves da Silva, que também já foi aluno da ESP, no curso de especialização em direito sanitário, comentou que a Escola é uma referência nacional, construída por seus trabalhadores e que é um orgulho ver a dedicação de todas as pessoas que atuam na instituição.

Créditos: Jean Alves-ESP/MG

O Secretário de Estado Adjunto de Saúde, André Luiz Moreira dos Anjos, lembrou que esteve presente na época em que a ESP se tornou um órgão autônomo, em 2007. "A Escola sempre contou com servidores aguerridos e dedicados a construir a melhor formação possível dentro do Sistema Único de Saúde. Eu tenho muito orgulho de ter participado desse processo de autonomia da ESP e a SES está à disposição para garantir esse fortalecimento", assegurou.

O Secretário de Estado de Saúde de Minas Gerais, Fábio Baccheretti, ressaltou em sua fala que também foi aluno da Escola, na época de sua formação como médico. O Secretário salientou o respeito que a ESP tem junto a diversos órgãos. "Eu participei de uma pesquisa recente do Conass (Conselho Nacional de Secretários Estaduais de Saúde), e é impressionante o respeito que os gestores têm com a ESP de Minas Gerais. Eles copiam muito o que a ESP fez e faz e a consideram como um grande exemplo de sucesso em formação, especialmente dos sanitaristas, até a formação multidisciplinar".

Por fim, o secretário pontuou que a função da Escola é estratégica para o SUS, pois, "de nada adianta criarmos políticas públicas, se a gente não tiver um nivelamento do conhecimento na ponta, porque em caso contrário, o dinheiro será desperdiçado. E a função da ESP é estratégica, não adianta implementar a melhor política, se a gente não tem quem executa e a Escola faz exatamente este papel", completou.

Após a abertura com as autoridades, foi realizada uma mesa para debater "Construção Coletiva de Ações e Saberes no SUS, a rede e as parcerias interinstitucionais para a formação". Participaram das apresentações, a Enfermeira Obstétrica do Hospital Sofia Feldman, Joyce Maíra Bernardes Angelo Ventura; a Diretoria de Saúde Mental, Álcool e outras Drogas da SES-MG, Lírica Salluz Mattos Pereira; o Diretor do Camping – Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública, Eduardo Amorim; o Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais, Renato Dresch e a Superintendente de Vigilância Epidemiológica, Elice Eliane Nobre Ribeiro.

Créditos: Jean Alves-ESP/MG

Patrimônio da saúde e arquitetônico

A primeira Escola de saúde pública estadual do país, a ESP-MG, fez 76 anos no dia 03 de junho, tendo como missão fortalecer o Sistema Único de Saúde (SUS), produzindo e disseminando conhecimentos junto a usuários, trabalhadores e gestores, por meio de ações educacionais e de pesquisa, com a Educação Permanente em Saúde como referencial político-pedagógico.

Nestes 76 anos de história, 364.663 alunos participaram das ações educacionais ofertadas pela Escola e 850 cursos já foram desenvolvidos. Deste total, fruto de investimentos mais recentes para acesso à formação, 43.020 alunos matricularam-se em atividades de Educação a distância (EaD), em 14 cursos desta modalidade.

A ESP-MG é uma Escola de Governo e uma instituição vinculada tecnicamente à Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) e faz parte, juntamente com a SES, da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (FHEMIG), da Fundação Ezequiel Dias (Funed) e da Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas Gerais (Hemominas), do Sistema Estadual de Saúde.

Além de ser uma referência para o estado e também para o país no campo da saúde pública, agora passará a ser também, oficialmente, uma referência arquitetônica para o município de Belo Horizonte. Isso porque, na última quarta, dia 22/06, foi aprovado, na 322ª Sessão Ordinária do Conselho Deliberativo do Patrimônio Cultural do Município de Belo Horizonte (CDPCM-BH), por unanimidade, parecer favorável ao tombamento da sede da Escola, situada à Avenida Augusto de Lima, 2061, Barro Preto, em Belo Horizonte, em razão de seu valor histórico, artístico e científico.

A edificação que abriga a Escola é representativa de uma arquitetura protomodernista que marca a transição, no contexto da cidade de Belo Horizonte e do Brasil, da tendência art déco para aquele mais próxima aos ideais modernistas, com características que remetem à linguagem art déco e racionalista.

Por Vívian Campos - Ascom/Esp-MG

Enviar para impressão