A Escola de Saúde Pública do Estado de Minas Gerais (ESP-MG) recebeu nos dias 22 e 23 de novembro, a reunião do Grupo de Trabalho do 8° Simpósio Brasileiro de Vigilância Sanitária (8° SIMBRAVISA), que irá propor uma reflexão sobre a trajetória da Vigilância Sanitária nos 30 anos de Constituição Federal.

A Escola é uma das instituições parceiras da atividade, juntamente com a Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Instituto René Rachou (Fiocruz Minas), Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Conselho Estadual de Saúde (CES-MG), Conselho de Secretarias Municipais de Saúde do Estado de Minas Gerais (COSEMS/MG) e o Conselho Municipal de Saúde de Belo Horizonte (CMS-BH).

Em dois dias de reunião, os participantes debateram a identidade visual e a organização do simpósio que será realizado em Belo Horizonte no final de 2019, o que de acordo com um dos participantes, Geraldo Luchese, ainda é um desafio devido ao atual cenário político. “Estamos em uma crise democrática e o evento vai abordar a questão da “saúde como mercadoria” e os “movimentos privatistas”, temas sensíveis e urgentes para o país”, disse.

Edna Coven, gerente de políticas para populações vulneráveis da Secretaria de Estado de Saúde de Goiás (SES-GO) e coordenadora da Comissão de Organização, destaca a importância do SIMBRAVISA para o Sistema Único de Saúde (SUS), sendo a Vigilância Sanitária um instrumento de construção da cidadania, da democracia e da justiça. “O simpósio é a única atividade do campo da Vigilância Sanitária com foco em divulgar os trabalhos científicos e resultados dos estudos e pesquisas mais recentes, por isso sua organização e realização conta com nosso comprometimento”, afirma.

A atividade contou com a presença de representantes das instituições parceiras, trabalhadores e pesquisadores da Vigilância Sanitária e do Superintende Estadual de Vigilância Sanitária da SES-MG, Rilke Novato Públio.

O evento

O 8° SIMBRAVISA será realizado em novembro de 2019, em Belo Horizonte, com o tema “Crise da democracia: caminhos e descaminhos da saúde e vigilância sanitária”, homenageando o médico e escritor brasileiro Guimarães Rosa, cuja obra contribui para a reflexão sobre a trajetória da Vigilância Sanitária nos 30 anos de Constituição Federal.

Por Scarlet Ferreira (Estagiária de Jornalismo - ASCOM/ESP-MG)

Enviar para impressão